33 %

Manjericão-roxo

Ocimum basilicum 'purpurea'

1.50 1.00

0 out of 5

Digestivo, antidepressivo. Condimenta arroz e cereais. Adiciona um toque de cor às saladas. Repelente de insectos.


Ciclo: Anual
Exposição: Sol
Água: q.b.
h: 0,45m
ø: 0,30m


Envio de plantas através da loja-online apenas disponível para Portugal continental. Para Açores e Madeira, por favor contacte-nos.

Esgotado

Descrição

Nome vulgar:

Manjericão-roxo, alfádega, alfavaca, basílico, erva-real, manjerico, manjericão-de-folha-grande (ENG: Sweet basil)

Família:

Lamiaceae

Nome científico:

Ocimum basilicum “purpurea”

Origem:

Ásia e África.

Habitat:

Clima tropical, locais húmidos.

Ciclo de Vida:

Anual.

Preferências de cultivo:

O Manjericão-roxo prefere solos ricos e bem-drenados, exposição solar mas requer uma posição abrigada da luz directa. Adapta-se muito bem a temperaturas quentes e climas tropicais. É uma boa companheira do tomateiro, porém o seu bom crescimento é posto em causa quando é acompanhada da arruda e da salva, o crescimento próximo das framboesas pode retardar a frutificação.

Forma de propagação:

Sementeira – As sementes amadurecem em Setembro, devendo ser semeadas no final da primavera, numa estufa. A germinação tende a ser rápida e, até ganharem tamanho suficiente, devem permanecer em vasos. A colocação nos locais permanentes devem ser após as últimas geadas.

Características ornamentais:

A floração ocorre de Agosto a Setembro.

Descrição dos cheiros e sabores:

Aroma a especiarias.

 

Propriedades do Manjericão-roxo

Medicinais:

Esta planta tem propriedades anti-bacterianas e anti-depressivas . Actua sobretudo no sistema digestivo, aliviando dores de estômago, cólicas e indigestão.

Condimentares:

As folhas do Manjericão-roxo são, normalmente, utilizadas frescas porém também podem ser consumidas secas. As sementes podem ser consumidas e adicionadas à massa do pão. Quando embebido em água, torna-se mucilaginoso, pode-se fazer uma bebida refrescante chamada “sherbet tokhum” na região Mediterrânica. De sabor quente, apimentado e com notas a hortelã e a anis, o manjericão é o companheiro natural do tomate, quer em saladas, molhos ou em sopas. Experimente-o também em galinha, cogumelos e peixe. Combine com cebolinho, coentros, manjerona, hortelã, alecrim e tomilho.

Infusão:

Aquecer a temperatura até cerca de 85ºC, deixar 3g/L em infusão durante 7 minutos, coar e servir. O intenso e brilhante dourado reflecte um leque harmonioso a especiarias. Às notas de cravinho e pimenta, junta-se o toque doce a feno cortado que nos levam numa viagem sensorial pelo mundo das especiarias. Só na boca revela o traço a mentol e eucalipto tornando-a inesquecivelmente fina e intensa. Sirva com a sobremesa.

Outros:

O óleo essencial recolhido de toda a planta é utilizado na aromaterapia, perfumaria e condimentar. O óleo aplicado na pele funciona como repelente de mosquitos.

Contra-indicações:

O óleo essencial não deve ser prescrito por via interna durante a gravidez, a aleitação, a crianças menores de seis anos ou a doentes com problemas intestinais e doenças neurológicas.

Efeitos secundários:

O óleo essencial quando aplicado externamente em doses não terapêuticas é irritante para as mucosas e, internamente, neurotóxico.

Observação:

Ao cozinhar, utilize as folhas com moderação porque o calor concentra o sabor.

Partes utilizadas:

Folhas e sumidades floridas.

Na agricultura:

Atrai polinizadores e repele insectos.

Curiosidades:

O nome “basil” provém do grego e significa rei. Crê-se que terá nascido um pé desta planta no local da Cruz de Cristo, pelo que as igrejas gregas Ortodoxas têm vindo a utiliza-la na preparação de água benta. A espécie é ainda utilizada na água do banho e na medicina. Na Itália, a espécie simboliza amor, pelo que os jovens enamorados enfeitavam os cabelos das amadas com raminhos. No México, as pessoas guardavam algumas folhas nos bolsos como esperança de que a pessoa que amassem, retribuisse o seu amor para sempre. Na România, quando um homem oferecia um raminho à namorada, ficavam oficialmente noivos.


Fontes:
Bown, D. (1995) The Royal Horticultural Society – Encyclopedia of Herbs & Their Uses, London, Dorling Kindersley
Cunha, P., Silva, A., Roque, O. (2012) Plantas e produtos vegetais em Fitoterapia, 4ª ed, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Cunha, P., Ribeiro, J., Roque, O. (2009) Plantas Aromáticas em Portugal Caracterização e Utilizações, 2ªed., Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Plants for a future, 1996-2013, Plants for a Future, www.pfaf.org, agosto 2013

Notas:
O Cantinho das Aromáticas não se responsabiliza por nenhum efeito adverso do uso da planta.
Deve sempre consultar um profissional antes de utilizar a planta para fins medicinais!
Imagem meramente ilustrativa. O estado de desenvolvimento da planta encomendada poderá não corresponder à imagem, sendo que o porte da mesma poderá variar com a espécie e com época do ano. Vaso 9, 10, 12 ou 14

 

Informação adicional

Peso 1.1 g

Reviews

There are no reviews yet!

Be the first to write a review

Delivery and Returns Content description.