Equinácea

Echinacea purpurea

1.50

0 out of 5

Usada desde longa data pelos nativos americanos como planta medicinal, sendo hoje uma das mais importantes plantas medicinais no ocidente, reconhecidas que são as suas importantes propriedades, activando o sistema imunológico, impedindo as infecções. É usada no tratamento de gripes, constipações e infecções, bem como para reforço geral do sistema imunitário. Produz flores em abundância, é simplesmente maravilhosa!!!


Envio de plantas através da loja-online apenas disponível para Portugal continental. Para Açores e Madeira, por favor contacte-nos.

Descrição

Nome vulgar:

Equinácea, Purpúra (ENG: Echinacea, American Cone Flower, Black Sampson, Comb Flower)

Família:

Asteraceae

Nome científico:

Echinacea purpurea

Origem:

Norte da América.

Habitat:

Bosques secos e abertos, campos e pradarias.

Ciclo de Vida:

Vivaz

Preferências de cultivo:

Solos ricos, profundos, secos e argilosos. Exposição solar.

Forma de propagação:

Sementeira – semear entre Março e Abril na estufa. As variações de temperaturas diurnas favorecem a germinação que se sucede entre 10 a 21 dias, se as temperaturas rondarem os 25ºC. As plantações devem ser feitas no final da primavera ou no início do verão do ano seguinte e antes de as plantas estarem estabelecidas nos seus locais definitivos devem ser protegidas das lesmas e dos caracóis. A divisão deve ser feita na primavera ou no outono e a plantação permanente deve ser feita na primavera.

Características ornamentais:

Floração de Julho a Agosto. H: 1 m, ᴓ 0,7 m

Descrição dos cheiros e sabores:

Sabor suave.

 

Propriedades da Equinácea

Medicinal:

A Equinácea é considerada uma das melhores plantas desintoxicante para o sistema circulatório, linfático e respiratório.  Trata as dores, ferimentos e queimaduras, possui uma actividade idêntica à da cortisona e tem propriedades anti-bacterianas.

Infusão:

Aquecer a temperatura até cerca de 90ºC, deixar 3g/L em infusão durante 5 minutos, coar e servir. Do seu amarelo escuro surge-nos o aroma vegetal seco apimentado pelas notas de especiarias. De intensidade suave, o corpo redondo revela na boca traços a pimenta branca que em conjunto com o sabor vegetal lhe conferem um agradável e leve paladar.

Observações:

Atenção: Possível supressão da imunidade se o consumo for prolongado. Doses superiores a 1000 mg podem causar vertigens ou tonturas. O consumo não deve exceder os 10/14 dias, sendo que ao fim desse tempo recomenda-se uma pausa.

Contra-indicações:

Gravidez, aleitação, hepatites.  Não é recomendado utilizar em tuberculose, colagenoses, esclerose múltipla, síndroma de imunodeficiência adquirida e outras doenças imunológicas sem supervisão médica.

Partes utilizadas:

Planta inteira.

Poda:

O mês de Julho é o mais indicado, se for feita nesta altura dará uma segunda floração entre Outubro e Novembro.

Benefícios na agricultura:

Atrai polinizadores.

Curiosidades:

O termo “equinácea” vem do grego “echinos” e significa ouriço-do-mar devido à forma pontiaguda das brácteas.

A espécie era utilizada pelos índios nativos americanos que a designavam por “ek-ih-nay-see-uh” como aplicação universal para tratar mordidas de serpentes e picadas de todos os tipos de insectos.

Os índios Sioux reconheceram as suas potencialidades como antídoto contra a raiva, muito antes de Pasteur.

Os nativos “Meskwakis” utilizavam a raíz ralada como antiespasmódico e os Cheyennes mastigavam-na durante o ritual da Dança do Sol.

Nas culturas indígenas e dos primeiros colonizadores americanos, a planta era fumada afim de combater as dores de cabeça e dirigiam o fumo para as narinas dos cavalos enraivecidos para os tranquilizar.

 

Mais informações sobre a Equinácea no nosso blog.


Fontes:
Bown, D. (1995) The Royal Horticultural Society – Encyclopedia of Herbs & Their Uses, London, Dorling Kindersley
Cunha, P., Roque, O., Gapar, N. (2013) Cultura e Utilização das Plantas Medicinais e Aromáticas, 2ªed, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Cunha, P., Silva, A., Roque, O. (2012) Plantas e produtos vegetais em Fitoterapia, 4ª ed, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Plants for a future, 1996-2013, Plants for a Future, www.pfaf.org, julho 2013

Notas:
O Cantinho das Aromáticas não se responsabiliza por nenhum efeito adverso do uso da planta. Deve sempre consultar um profissional antes de utilizar a planta para fins medicinais!
Imagem meramente ilustrativa. O estado de desenvolvimento da planta encomendada poderá não corresponder à imagem, sendo que o porte da mesma poderá variar com a espécie e com época do ano. Vaso 9, 10, 12 ou 14

Informação adicional

Peso 600 g
Delivery and Returns Content description.