Aloé

Aloe vera

5.00

0 out of 5

Nome vulgar: Aloe, aloés-da-Caraçau; erva-babosa, aloés, babosa, cacto-dos-aflitos, cura-cancros, uva-que-arde, planta-dos-milagres, planta-mistério, planta-que-cura (ENG: Aloe)
Família: Asfodelaceae
Nome científico: Aloe vera
Origem: África Oriental e Sul da Ásia
Habitat: Cresce em qualquer tipo de solo mas adapta-se melhor aos leves e arenosos, clima quente e húmido, zonas sub-tropicais e costeiras


Envio de plantas através da loja-online apenas disponível para Portugal continental. Para Açores e Madeira, por favor contacte-nos.

Categoria: . Etiqueta: .

Descrição

Ciclo de Vida:

A Aloé é um planta perene.

Preferências de cultivo:

Clima quente e húmido.

Forma de propagação:

Sementes ou mudas produzidas a partir de rebentos basais.

Características ornamentais:

Floração de maio a junho. H: 1m, ᴓ 1m

Descrição dos cheiros e sabores:

O sabor é levemente amargo.

 

Propriedades da Aloé

Medicinal:

Propriedades antioxidantes, hidratantes, anti-inflamatórias, cicatrizantes, ant-ibacterianas, anti-virais e laxante.

Contra-indicações/ Efeitos secundários /Observações:

Contra-indicações: Deve-se evitar o consumo do suco concentrado e seco para aliviar a obstrução gastro-intestinal de qualquer origem, na gravidez, aleitação e em crianças com menos de dez anos. O uso em simultâneo de diuréticos e de corticosteróides aumenta a possibilidade de descompensações. Os doentes cardíacos devem evitar o consumo desta planta porque pode causar arritmias.

Efeitos secundários: o contacto prolongado com o gel de parênquima pode originar dermatites.

Como e quando se faz a colheita e/ou poda e quais as partes utilizadas. Quantos cortes por ano?

Partes utilizadas: Suco concentrado e seco: obtido por incisões nas folhas recentes. Gel: suco viscoso do parênquima mucilaginoso que se encontra no interior das folhas é obtido após a eliminação dos tecidos mais externos.

Poda: Cortar o caule da floração assim que estiver seco

Curiosidades/Experiências pessoais.

Aloe vera provém do arábico “alloeh” (substância amarga e brilhante) e do latim “vera” (verdadeira). Os judeus e os muçulmanos acreditavam que a Aloe vera representa uma proteção para todos os males e, portanto, utilizavam-na pendurada na entrada da casa.

Alexandre, o Grande, teria conquistado as Ilhas de Socotorá ou Socotra, séc. IV a.C. – pequeno arquipélago formado por quatro ilhas no Oceano Índico, em frente à costa do Chifre da África– porque havia uma aloé que produzia uma tinta violácea. No entanto, há quem acredite que a verdadeira razão seja que o Grande conhecesse os poderes cicatrizantes, útil para curar os seus soldados após as batalhas.

Uma outra curiosidade é que um dos segredos de beleza da Cleópatra, é a aloé vera que ocupava o lugar de destaque e ainda hoje é um dos ingredientes principais de inúmeros cosméticos.


Fontes:

Bown, D. (1995) The Royal Horticultural Society – Encyclopedia of Herbs & Their Uses, London, Dorling Kindersley
Cunha, P., Silva, A., Roque, O. (2012) Plantas e produtos vegetais em Fitoterapia, 4ª ed, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Cunha, P., Roque, O., Gapar, N. (2013) Cultura e Utilização das Plantas Medicinais e Aromáticas, 2ªed, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Cunha, P., Roque, O. (2011) Plantas Medicinais da Farmacopeia Portuguesa, 2ªed, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian
Plants for a future, 1996-2013, Plants for a Future, www.pfaf.org, agosto 2013

Notas:

O Cantinho das Aromáticas não se responsabiliza por nenhum efeito adverso do uso da planta. Deve sempre consultar um profissional antes de utilizar a planta para fins medicinais!

Imagem meramente ilustrativa. O estado de desenvolvimento da planta encomendada poderá não corresponder à imagem, sendo que o porte da mesma poderá variar com a espécie e com época do ano. Vaso 9, 10, 12 ou 14

Informação adicional

Peso 800 g

Reviews

There are no reviews yet!

Be the first to write a review

Delivery and Returns Content description.