A poda serve para transformar uma Lili Caneças numa Soraia Chaves…

Uma das melhores piadas durante as aulas que ao longo dos anos tenho vindo a dar pelo país, usada recorrentemente por funcionar muito bem, espevitando o mais distraído, motivando o que tem menos “dedo verde” e que melhor define uma das tarefas mais difíceis de descrever na sala, a poda, foi hoje publicada no guia Essencial do semanário SOL.

“A poda serve para transformar uma Lili Caneças numa Soraia Chaves…”, sendo sempre seguida de: “de facto, as plantas reagem à remoção de material velho, emitindo material novo…” e normalmente finalizada, entre gargalhadas e sorrisos, com: “e já o fazem há milhares de anos!!!”.

Convenhamos que, sem qualquer pretensiosismo, é uma boa definição (generalista, claro) de poda. Toda a gente fica a perceber!!!

Entretanto recebi ao mesmo tempo um mail de um dos alunos presentes na reportagem, reportando que: “a estacaria de Gingko biloba já brota vida!!! Com os cursos da AAJBA até um químico pode fazer jardinagem :-)”.

Uma vez que esta piada é agora pública, tenho que inventar uma nova… Aceitam-se sugestões!!!

Lisboa vai construir maior parque hortícola urbano do País

O Vale de Chelas, em Lisboa, vai receber já a partir do segundo semestre de 2011 o maior parque hortícola urbano do País. O projecto já arrancou e deverá albergar mais de seis hectares e meio de hortas. Aliás, o parque hortícola terá perto de 15 hectares, sendo 6,5 destes destinados às hortas. Para já, serão criados cerca de 400 talhões, cada um com 150 metros quadrados de área.

De acordo com o vereador do Ambiente Urbano e Espaços Verdes, José Sá Fernandes, uma parte destes talhões será atribuída directamente aos cerca de 100 hortelãos que já ocupam o local. Os restantes 300 ficam reservados para um concurso público que se realizará no próximo ano. A construção da primeira fase do projecto arrancou com a modelação do terreno, o reforço e protecção das encostas, a abertura de caminhos principais e a introdução de uma rede de distribuição de água, com bocas de rega.

A câmara vai também colocar vedações nas hortas, definir caminhos entre elas, colocar plantas, arbustos de bordadura, disponibilizar alfaias e casas de arrumo e, mais tarde, instalar também um equipamento infantil e um quiosque com esplanada. Finalmente, segundo Sá Fernandes, outro dos objectivos da iniciativa é promover “ a interacção social e a consciência comunitária”, permitindo às famílias de uma zona carenciada o consumo de frescos ou até a venda localizada de alguns produtos.